domingo, 28 de junho de 2009

Até quase já...



Amigo
Mal nos conhecemos

Inaugurámos a palavra «amigo».


«Amigo» é um sorriso

De boca em boca,

Um olhar bem limpo,

Uma casa, mesmo modesta, que se oferece,

Um coração pronto a pulsar

Na nossa mão!


«Amigo» (recordam-se, vocês aí,

Escrupulosos detritos?)

«Amigo» é o contrário de inimigo!

«Amigo» é o erro corrigido,


Não o erro perseguido, explorado,

É a verdade partilhada, praticada.


«Amigo» é a solidão derrotada!


«Amigo» é uma grande tarefa,

Um trabalho sem fim,

Um espaço útil, um tempo fértil,

«Amigo» vai ser, é já uma grande festa!
Alexandre O’Neill, in No Reino da Dinamarca

4 comentários:

Anónimo disse...

Goza estes dias, Ana.
:-) Bjinhos

al disse...

tanto como do poema, gosto da imagem: lindíssima!

Ana, BOAS FÉRIAS, BOA VIAGEM para ti e a filhota, VOLTEM BEM (e sem vírus!:-)))

bjinho grande
ana lima

teodoro disse...

boas férias

Fátima Freitas disse...

Aproveita e vê lá se arranjas um "quase futuro ..." (tu sabes!).

E

"«Amigo» vai ser, é já uma grande festa!"